Quando comparamos módulos fotovoltaicos de tecnologia Monocristalinos e Policristalinos da mesma potência (Wp), a diferença entre os níveis de eficiência são quase imperceptíveis. Ao analisamos as fichas técnicas, e todo o histórico de geração, notamos com clareza que a maior diferença está quando são colocados para testes em melhores condições de trabalho (também conhecido como STC - Standart Test Condition  "condições padrão de teste").
 

Monocristalino

Possui uma composição de células de silício feitas apenas com um único cristal  de alta pureza, por isso tem a cor uniforme que normalmente é azul escuro, quase preto.
Isso possibilita uma boa performance em locais de baixa irradiação. Quando comparamos com a eficiência das demais tecnologias, o módulo Monocristalino possui a eficiência mais alta, e se torna também o  mais caro.
A desvantagem que temos ao utilizar esse módulo, é que, quando  instalado em um local que possui um alto índice de temperatura, pode ter uma perda maior, pois possui coloração mais escura que tende a reter mais calor.

Policristalino

As células também são compostas de silício, diferente do Mono, possui um processo de fundição dos cristais que permite um processo de produção mais fácil, e com um melhor custo benefício.
É muito eficiente, possui uma coloração mais clara que o Mono, evitando que a perda por temperatura seja tão significativa. Mesmo assim, a eficiência desse módulo é menor que o Monocristalino, devido a menor pureza do Polisilício.

A partir daí temos que analisar, os critérios de instalação para definir o módulo que irá atender a necessidade. Mas, quando analisamos nos datasheets e visualizamos que os parâmetros de perdas, e coeficientes de temperatura são iguais, nos leva a crer com o avanço da tecnologia no processo de fabricação nos permite a escolher visando o custo benefício.

No link abaixo, a revista PVEDUCATION possui artigos interessantes referente a esse assunto.

http://www.pveducation.org/

Encontrou sua resposta?